Seguidores

domingo, 31 de dezembro de 2017

FELIZ ANO NOVO

Se a vida fosse um conto de fadas, eu faria um pedido ao gênio da lâmpada para todos vocês... Mas a vida é real e isso é ainda melhor, porque não vou precisar de uma lâmpada mágica para pedir ao Pai do Céu aquilo que meu coração deseja para os meus amigos. E um pedido, um único pedido eu vou fazer. É verdade, a idéia talvez seja original, mas não é minha, infelizmente. Copiei essa idéia de um rei.

Peço a Deus que no próximo ano dê a cada um de vocês: Sabedoria!

Adquirindo sabedoria, vocês automaticamente receberão todas as outras coisas.

Desejo, então que sejam sábios para:

- se vestirem com a beleza dos lírios dos campos;

- possuírem o suficiente para que sejam cobertas todas as vossas necessidades, mas nõo o bastante para que pensem que não precisem de ninguém;

- guardarem a fé mesmo nas provações;

- em dificuldades, nunca pensarem que é o fim do caminho;

- na felicidade, nunca se esquecerem de agradecer;

- no amor, que sejam voluntários;

- na dor, que sejam solidários;

- em tempos de guerra, que a Paz possa reinar interiormente;

- na amizade serem grandes e verdadeiros;

- que vossas mãos sejam suficientemente quentes para, segurando a mão do próximo, aquecerem o mundo numa grande corrente de amor;

- nunca pensarem que a felicidade é utopia;

- nunca desacreditarem que o amor vence barreiras;

- nunca se esquecerem de que temos um Pai que jamais vai nos abandonar;

- e que essa sabedoria possa estar presente cada minuto pelo resto, não do ano, mas da vida inteira de cada um!

Faço aqui um brinde a todos vocês!

Tenham um sábio Ano Novo!

COMO UM RIO QUE CORRE

Letícia Thompson

Um ano que passa é um rio que corre. Ora calmo, ora turbulento, ele nos carrega com ele.

Nada é igual no caminho, mesmo se os dias e semanas nos parecem tão iguais. Não... não são. Vivi hoje o que não teria vivido ontem e o que não poderia deixar para amanhã, mesmo com toda a minha vontade.

E lá vamos nós nesse rio, ora dentro dele, ora caminhando na margem, sem que possamos parar porque mesmo se paramos... ele corre... e ele corre... independente da nossa tristeza, alegria ou desilusão. Ele não espera, mesmo se os minutos nos parecem infinitos no nosso sofrimento. E ele não avança, mesmo se na nossa felicidade tudo voa em torno de nós.

E esse rio, com as horas contadas, carrega nossas histórias, nossas vitórias, nossas derrotas. Há momentos tranqüilos onde podemos apreciar a beleza da paisagem e nos deixar invadir pela paz, outras sentimo-nos afogando e voltamos, nos apegamos ao que encontramos, nos deixamos levar quando as forças nos abandonam e, apesar de tudo, sem escolha, seguimos para o momento fatal onde o rio desemboca para um novo recomeço.

E contamos os minutos... apesar de tudo o que passamos, os dias e horas não foram suficientes para cumprirmos todas as promessas que fizemos e nos fizemos no início do passado. Então, ansiosos, esperamos um novo dia, um novo nascer do sol, essa imensa folha branca onde nos preparamos para escrever mais um capítulo da nossa história. Penso que o dia primeiro de janeiro é o dia mais cheio de esperança de todo o ano. Depositamos nele todos os nossos desejos, nossas orações, nossas ambições e nossos sonhos.

Por isso contamos... porque quando meia-noite soa, o rio desemboca no oceano e novos dias nos sorriem.

E sabem de uma coisa?

Mesmo se o ano é um rio que corre, somos nós ainda que o controlamos, colocando barreiras ou construindo barcos, balsas ou o que estiver nas nossas mãos e na nossa criatividade para seguirmos adiante. Somos nós ainda a corôa da criação, somos nós a jóia cravada no peito de Deus. E se Ele nos oferece um novo ano é que ainda tem fé em nós.

sábado, 30 de dezembro de 2017

MÚSICAS AO VIVO DO FACEBOOK LJM CRÉDITO


Adeus Ano Velho!

Letícia Thompson

É tempo de preparar as bagagens, pois daqui a algumas horas o próximo trem chega à última estação.

Com cuidado vamos selecionando o que queremos carregar. Outras coisas nos seguirão, independentes de nós. Estão impregnadas na nossa pele e qualquer que seja o próximo caminho, nos acompanharão. E é bom que assim seja!

Essas coisas, freqüentemente doloridas, serão nossos sinais de atenção para os próximos passos, nossa febre nos alertando que devemos ter cuidado. São as benditas dores que nos tornam pessoas reais e humanas, sensíveis e verdadeiras.

Vamos colocar nessa mala, voluntariamente, nossos mais doces momentos, mesmo se passados.

Do nosso lado, nossos amigos mais queridos: os antigos, os novos, os que estão chegando e a lembrança dos que partiram.

Traremos ainda nessa mala nossas roupas mais bonitas e aquelas que contam histórias. Ninguém duvida que certas roupas contam histórias, da mesma forma que os perfumes e as músicas.

Traremos no coração os lugares que pisamos e, se não deixamos nossas marcas, carregamos em nós as marcas deles.

Traremos, sobretudo, nosso coração, vivido, quebrado e recolado, mas ainda inteiro, palpitante!

Nada de lágrimas! Elas ficarão escondidas para as grandes ocasiões e chegarão nos momentos oportunos, desejadas ou não. E nos trarão a calma dos grandes rios quando precisarmos recuperar forças para continuar o caminho.

Fecharemos então essa mala com alegria e a selaremos com ação de graças, pois tudo o que foi e tudo o que vem é para nosso crescimento.

Que possamos encontrar em tudo e em cada coisa o ponto positivo que vai nos mostrar que vale a pena ainda seguir.

E que, acima de todas as coisas, seja o Senhor nosso maior companheiro de viagem. É a mais linda forma de nunca nos sentirmos sós!

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Quando Faz Frio No Coração

Letícia Thompson

Todo nosso eu é construído do emocional. E a soma dos acontecimentos, o tamanho deles, a forma ou o momento em que chegam criam barreiras entre nós e os outros, às vezes nós e o mundo.

Quando faz frio no coração, nós nos afastamos de tudo aquilo que poderá tocá-lo. Criamos um muro invisível para protegê-lo e proteger-nos, duvidamos das pessoas, da sinceridade delas, das suas boas intenções.

Esses invernos rigorosos da vida fazem com que nos sintamos mais sós, nos esquecemos de olhar um pouco para fora e olhamos muito para dentro. E quando mais pensamos nas nossas tristezas, mais tristes nos sentimos, o que cria esse círculo vicioso do qual é difícil se livrar.

E quando esses períodos de festas se aproximam em que todos falam tanto de amor, solidariedade, perdão e compreensão, o que possuem o coração apertado o sentem mais pequenininho ainda.

Uma maneira de reverter essa situação, é oferecer o que precisamos. Mudando nossa mentalidade, mudamos o mundo. Para abrir o coração das pessoas, precisamos abrir o nosso.

São nossas mãos que devem derrubar as primeiras barreiras que nos separam das pessoas e da vida. É a luz que possuímos que deve ser a primeira a nos aquecer,  a iluminar nossos passos, ninguém pode ver por nós, caminhar por nós e menos ainda sentir por nós.

Quando fazemos pelos outros, estamos concentrando nossas energias em algo externo a nós e quando pensamos menos na carga que carregamos, ela parece mais leve, mais suportável.

Quando faz frio no nosso coração, devemos agasalhá-lo para que ele passe melhor pelo inverno, que passará, como passam todas as outras estações.

Aquele que aprende a plantar uma flor, planta muito mais que uma flor, ele faz nascer a esperança no mundo.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Transmissão ao vivo Canal Youtube Marcos Coutinho


Rádio Marcos Coutinho / LJM CRÉDITO


quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

A Todos Vocês...

Mais um ano que caminhamos juntos vai chegando ao fim. Procuro  no meu coração as palavras e não sei se encontro. Devo, talvez, ter que ir mais fundo.

 Penso que o segredo de nos darmos bem é que quando falo, o faço com o coração e quando escutam, o fazem com o coração. É dessa forma que meu coração se sente compreendido e o de vocês se sente reconfortado. Fazemos uma troca.

 Eu queria fazer um resumo do ano que passou, mas não acho que tenha sido um ano particular, apenas a continuidade dos tantos outros, onde vemos, infelizmente, que a humanidade caminha para a direção contrária: muitas coisas que antes nos surpreendiam começam a ser "naturais" pois o mundo evoluiu.

 Vemos que muitos valores foram invertidos: o que é anormal, tornou-se comum; o que é imoral, tornou-se corriqueiro; a violência nos revolta, mas não nos impede de dormir; antes, compreendíamos nossos pais com um simples olhar, hoje tudo é diferente.

 Muitas pessoas procuram a profissão onde vão ganhar mais e poucos são os que ainda fazem alguma coisa por paixão. É isso...

Falta paixão no mundo! O materialismo tomou conta de muitas coisas e muito poucos são os que ainda abraçam uma causa e seriam capazes de dar tudo por ela. O "eu" tornou-se rei e como há muitos eus espalhados pelo mundo, há muitos reis também, que pensam-se poderosos e acima de tudo. E ninguém está acima de tudo enquanto os homens não conseguirem controlar o mar e o tempo.

Nada no mundo se compara à paz de espírito, ao sentimento de ter feito o bem, ao conforto de olhar nos olhos dos que precisaram de alguém e conseguiram encontrar uma presença

O que o mundo precisa é disso: a paz, que só encontramos quando nosso coração se sente saciado e um coração precisa de amor para se alimentar.

 Se tiver que deixar uma mensagem a vocês, deixo esta aqui:

 não desacreditem na vida, nem no bem, nem na força do bem e, acima de qualquer coisa, não desacreditem em Deus!

 O mundo está abandonado a si mesmo, mas aqueles que voltam-se para Deus estão ancorados.

Cultivem o amor, a paz, a alegria, o sorriso e tratem as pessoas com o mesmo respeito, amor, compreensão, como gostariam de ser tratatos.

Ninguém deve sentir vergonha de falar sobre Deus, de defender uma causa justa, de se sentir diferente num mundo onde todo mundo quer fazer igual. Pessoas especiais são pessoas especiais.

Muitos são os que avistam a porta do paraíso, mas, creiam, só as pessoas especiais são capazes de passar por ela.

Que o Senhor guarde a união no seio de cada família, que as pessoas se dêem as mãos e não larguem quaisquer que forem as circunstâncias, que a vida seja repleta e que a solidão torne-se uma vaga lembrança

Obrigada a cada um de vocês por compartilhar comigo dessa caminhada na qual acredito de todo meu ser.

Com muito amor, tenham um ano de paz, de muita luz! 


Rádio Ao Vivo Do Canal Marcos Coutinho / LJM Crédito


terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Um dia, um pai de família rica, grande empresário, levou seu filho para viajar até um lugarejo com o firme propósito de mostrar-lhe o quanto as pessoas podem ser pobres. Seu objetivo era convencer o filho da necessidade de valorizar os bens materiais que possuía, seu status e prestígio social. O pai queria desde cedo passar esses valores para seu herdeiro.
Eles ficaram um dia e uma noite numa pequena casa de taipa, de um morador da fazenda de seu primo.
Quando retornavam da viagem, o pai perguntou ao filho:
– E aí filhão, como foi a viagem para você?
– Muito boa, papai.
– Você viu a diferença entre viver na riqueza e viver na pobreza?
– Sim pai... - Retrucou o filho, pensativamente.
– E o que você aprendeu com tudo o que viu naquele lugar tão pobre?
O menino respondeu:
– É pai, pude ver muitas coisas...
Vi que nós temos só um cachorro em casa, enquanto eles têm quatro. Nós temos uma piscina que alcança metade do jardim, e eles têm um riacho sem fim.
Nós temos uma varanda coberta e iluminada com lâmpadas fluorescentes e eles têm as estrelas e a lua no céu.
Nosso quintal vai até o portão de entrada e eles têm uma floresta inteirinha. Nós temos alguns canários numa gaiola e eles têm todas as aves que a natureza pode oferecer-lhes, soltas!
O filho suspirou e continuou:
– E além do mais, papai, observei que eles oram antes de qualquer refeição, enquanto nós sentamos à mesa e falamos de negócios e eventos sociais. Então comemos, empurramos o prato e pronto!
No quarto onde fui dormir com o Tonho, passei vergonha, pois não sabia sequer orar, enquanto ele se ajoelhou e agradeceu a Deus por tudo, inclusive por nossa visita. Lá em casa, vamos para o quarto, deitamos, assistimos TV e dormimos.
Outra coisa papai, eu dormi na rede do Tonho e ele dormiu no chão, pois não havia rede para cada um de nós. Na nossa casa, colocamos nossa empregada para dormir naquele quarto onde guardamos entulho, apesar de termos camas macias e cheirosas sobrando.
Conforme o garoto falava, o pai ficava constrangido, enrubescido e envergonhado. O filho, em sua sábia ingenuidade e brilhante desabafo, abraçou o pai e ainda acrescentou:
- Obrigado papai, por ter me mostrado o quanto somos pobres!

Não é o que você tem, o que faz ou onde está, que irá determinar sua felicidade, mas o que você pensa sobre isto.
Tudo o que você tem depende da maneira como enxerga e valoriza. Se você tem amor e sobrevive nesta vida com dignidade, tem atitudes positivas e partilha com benevolência suas coisas, então você tem tudo!

domingo, 24 de dezembro de 2017

TRADUÇÕES ROMÂNTICAS


sábado, 23 de dezembro de 2017

Transmissão ao vivo músicas românticas


sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Temos o prazer de lhe desejar um feliz Natal e um Fim De Ano Maravilhoso, estimado cliente!

Nesta data de grande significado, temos o prazer de lhe desejar um feliz Natal e um Fim De Ano Maravilhoso, estimado cliente! Que o próximo ano traga muita felicidade, amor, saúde e Muita Prosperidade!
Saiba que para nós você não é apenas mais um cliente, mas alguém muito importante a quem dedicamos genuíno sentimento. 
Felicidades!
Entre Em Contato Conosco Pelo Email: ljm@ljmcredito.com
Acesse o site www.loanaemarcoscredito.jimdo.com 
Inscreva-se no canal http://www.youtube.com/c/MarcosCoutinholjmcredito
Nos siga no BLOG - http://ljmcredito.blogspot.com.br/
 Curta a nossa pagina facebook.com/ljmcredito/
Instagram: @ljm_credito2
Tel: (21) 2415-3293 / (21) 2412-1183 Whats  App: (21)98277-1761
End. Rua Augusto de Vasconcelos n• 30 sala 301  Campo Grande RJ
LJM CREDITO EIRELI-ME
CNPJ: 19.172.552/0001-05

SÓ TRADUÇÕES ROMÂNTICAS

[4K/ UHD/ HDR] KENNY ROGERS & BEE GEES YOU AND I ( TRADUÇÃO)

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

FORMIGA E PUXA-SACO TEM EM TODO LUGAR!

Puxa-saco é o bajulador, adulador, indivíduo de mau caráter que enaltece gregos e troianos, vagabundos de pouca, média ou grande projeção que aceitam esse tipo de admiração sabidamente interesseiro.
O puxa-saco parece um cão sem dono.

Corre atrás de qualquer um que lhe dê a mínima atenção a troco de um voto ou simplesmente para tê-lo por perto para fazer número.

Coisa raríssima é um puxa-saco inteligente e capaz.
Normalmente esse tipo de pessoa se sujeita a essa condição subserviente, porque lhe falta amor próprio, dignidade e capacidade para estar em qualquer posição pelos próprios méritos.
Estou escrevendo e vendo perfilar a cara de bobo e de boba, de cada uma dessas pessoas que nunca foram nada em lugar nenhum e agora porque tiram foto com alguma autoridade ou tem um emprego na prefeitura acham que são o máximo.
Convido você, amigo ou amiga leitora a lembrar ou melhor, não esquecer dessas caras...
Não deixe de fazer um ou uma puxa-saco saber da própria condição de insignificante chamando-o(a) de puxa-saco.
Se não dá para exterminá-los, como se faz com as formigas daninhas, não os perca de vista enquanto eles sobem.
Breve você e eu os veremos caindo, pois nenhum puxa-saco suporta uma auditoria.

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Ed SHEERAN PHOTOGRAPH


terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Inscreva-se em nosso canal e ative as notificações


terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Morangos da vida!

O autor Roberto Shinyashiki foi bem feliz ao descrever esta história zen em seu livro "O sucesso é ser feliz". Lembrem-se de comer os morangos hoje!!! "Um sujeito estava caindo de um barranco e se agarrou às raízes de uma árvore. Em cima do barranco, havia um urso imenso querendo devorá-lo. O urso rosnava, mostrava os dentes, babava de ansiedade pelo prato que tinha à sua frente. Embaixo, prontas para engoli-lo quando caísse, estavam nada menos do que seis onças absolutamente famintas. Ele erguia a cabeça, olhava para cima e via o urso rosnando. Quando o urso dava uma folga, ouvia o urro das onças, próximas do seu pé.  As onças embaixo querendo comê-lo e o urso em cima querendo devorá-lo. Em determinado momento, ele olhou para o lado esquerdo e viu um morango vermelho, lindo, com escamas douradas refletindo o sol. Num esforço supremo, apoiou o seu corpo, sustentado pela mão direita, e, com a esquerda, pegou o morango. Quando pôde olhá-lo melhor, ficou inebriado com a sua beleza. Então, levou o morango à boca e se deliciou com o sabor doce e suculento. Foi um prazer supremo comer aquele morango tão gostoso." Talvez você pergunte: "Mas, e o urso?" Dane-se o urso, coma o morango! "E as onças?" Azar das onças. Coma o morango! Relaxe, e viva um dia de cada vez! Coma o morango! Problemas acontecem na vida de todos nós, até o último suspiro. Sempre existirão ursos querendo comer nossas cabeças e onças pulando para nos pegar pelos pés. Isso faz parte da vida e é importante que saibamos viver dentro desse cenário. Mas precisamos saber comer os morangos. A vida está acontecendo agora. Nesse exato momento deve haver um morango esperando por você. O melhor momento para ser feliz é agora. O futuro é uma ilusão que sempre será diferente do que imaginamos. As pessoas visualizam metas e, quando as realizam, descobrem que elas não trouxeram a felicidade. Elas esquecem que a felicidade é construída todos os dias. Eu aqui, torço para que você descubra sua maneira de ser feliz! Espero que coma os morangos agora.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Transmissão ao vivo de Marcos Coutinho

Transmissão ao vivo de Marcos Coutinho

Nunca mais viva nada pela metade, viu?

Você é um ser maravilhoso, merecedor e muito amado! Nunca mais viva nada pela metade, viu? Procure ser você por inteiro, sempre! Pare ...